A 5ª Mostra Audiovisual  (18/11) contou com a exibição do longa-metragem “Casa Grande” (2014), de Fellipe Barbosa, ganhador do prêmio de Melhor Filme pelo voto popular no Festival do Rio 2014.

Mantendo a proposta de aproximar o universo juvenil de produção de imagens de um universo profissional de produção de filmes, entendendo o choque provocado pelas formas de utilização, montagem e estética das imagens como um potencial espaço de construção coletiva de conhecimento e significados, a exibição será seguida de um debate com a montadora Nina Galanternick e a produtora / Platô Chaiana Furtado.

 

 

 

 

Conheça mais sobre o filme e as nossas convidadas:

cartazcasagrandeCasa Grande começa com a câmera ligada estática nos jardins de uma casa, à noite, apontando para a fachada. Um cara sai da jacuzzi, entra e começa a apagar as luzes. Percorrendo cada cômodo (a câmera continua parada aqui fora), ele desliga uma por uma. É tempo suficiente para inserir com calma os créditos de todos os profissionais envolvidos no filme, do diretor à continuísta, o que dá uma noção do tamanho desta mansão – e da preocupação do personagem. Em Casa Grande, cada gesto é significativo. Fellipe Barbosa, estreando com categoria no formato longa-metragem, usa de tons autobiográficos para contar a história de Jean (Thales Cavalcanti), um estudante do tradicional colégio São Bento, do Rio de Janeiro (um reduto da alta classe média carioca), no último ano do ensino médio, ou seja, naquela fase em que os hormônios mais cutucam e o presente cobra a definição do que você vai ser para o resto da vida. (sinopse do site AdoroCinema)


15-11-18---Debate-e-Filme-Casa-Grande-(9)Nina Galanternick 
montou o filme “Casa Grande”, de Fellipe Barbosa, em parceria com Karen Sztajnberg, pelo qual recebeu prêmio de Melhor Montagem na VII Janela Internacional de Cinema de Recife. Montou também o documentário Seewatchlook, de Michel Melamed e o curta “Em Paz”, em parceria com Fellipe Barbosa, dirigido por Clara Linhart. É também diretora dos documentários “Almir Mavignier. Memórias Concretas” e “Formas do Afeto, um filme sobre Mário Pedrosa” e mestre em Comunicação e Cultura pela ECO/UFRJ, com pesquisa em filmes sobre arte.

 

15-11-18---Debate-e-Filme-Casa-Grande-(11)Chaiana Furtado participou do filme como produção / Platô. Produtora, formada em cinema pela PUC-Rio, com especialização em Produção Executiva pela Escola Internacional de Cinema e TV de Cuba e em MArketing Cinematográfico pela PUC-Rio faz parte da nova geração do cinema brasileiro. Participou de programas de TV fazendo parte da equipe de produção de trabalhos como o filme “Alemão” de Eduardo Belmonte, onde foi diretora de produção “Jardim Atlântico”, de Jura Capela, “S.O.S Mulheres ao mar”, da Cris D’AMato, “Quase Samba” de Ricardo Targino, “Éden” de Bruno Safadi, entre muitos outros. Entre filmes premiados estão os curtas “Áurea” de Zeca Ferreira e “O Coração as vezes pára de bater” de Maria Camargo.

 

Advertisements