28/06 - Debate com diretor Vladimir Carvalho

28/06 – Debate com diretor Vladimir Carvalho

               A 3ª Mostra Audiovisual Estudantil Joaquim Venâncio contou com a participação do cineasta paraibano Vladimir Carvalho numa mesa de debate após a exibição de seu filme “Rock Brasília: a era de ouro” (2011). Autor de uma extensa e premiada obra cinematográfica, produzida ao longo de mais de 50 anos, que incluem títulos importantes como “O país de São Saruê” (1971), “O homem de Areia” (1982), “Conterrâneos velhos de guerra” (1991) e “Barra 68” (2000), Vladimir Carvalho, por muitos anos professor da Faculdade de Comunicação da UnB, é um dos principais documentaristas da história do cinema brasileiro, tendo integrado o movimento do Cinema Novo nos anos 1960, ao lado de Glauber Rocha, Rui Guerra, Leon Hirszman, Eduardo Escorel, Paulo Cesar Saraceni, Arnaldo Jabor e Eduardo Coutinho, de quem foi assistente de direção em “Cabra marcado para morrer” (1964-1984).

Diretor Vladimir Carvalho
Diretor Vladimir Carvalho

Em debate ocorrido em meio às grandes manifestações de julho de 2013, Vladimir Carvalho, respondendo às questões da plateia, falou longamente sobre os conflitos políticos, ideológicos, existenciais e artísticos enfrentados por sua própria geração, que se chocou com o golpe de 1964 (prestes a completar 50 anos), a dos anos 1980, de que trata seu filme “Rock Brasília”, e que impulsionou o processo de democratização do país, e a atual geração, que naquelas semanas ia massivamente às ruas em protestos por todo o Brasil. Em mais de uma hora de animada conversa com um público jovem, o cineasta comentou ainda a situação atual do cinema brasileiro, repleto de filmes caríssimos que estão longe de retratar verdadeiramente o país, e, em contraste, tratou dos potenciais comunicativos das atuais tecnologias audiovisuais, capazes de criar novas formas de expressão artística e de mobilização política impensadas há poucos anos.

Veja o debate na íntegra

Autógrafo de Vladimir Carvalho

Biografia do diretor

Vladimir Carvalho começou seu curso universitário em João Pessoa, Paraíba, mas transferiu-se para Salvador a fim de ir ao encontro de um dos grandes núcleos do Centro Popular de Cultura CPC da União Nacional dos Estudantes UNE.Frequentando aUniversidade Federal da Bahia conheceu Glauber Rocha e integrou o chamado movimento do cinema novo (sendo parte da vertente documentarista do movimento, ao mesmo tempo, sendo influenciado e influenciando-o também, com o estilo de sua cinematografia documentária inovadora).

Equipe NUTED, amigos e convidados
Equipe NUTED, amigos e convidados

Deixe um comentário

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s